De acordo com a matéria publicada no G1, as clínicas oferecem desde hidroterapia até acupuntura para cães.

A relação entre os homens e animais de estimação mudou e se estreitou muito durante os anos. Hoje em dia muita gente considera o pet como parte da família e mais que isso, como um filho. E sendo um filho quando ele fica doente os donos não medem esforços para buscar o tratamento. Isso fez com a que a medicina veterinária evoluísse e esse é o destaque da quarta reportagem da série "Mundo Pet", exibida no TEM Notícias.

Essa evolução na medicina veterinária permitiu que o Fenrir pudesse ter uma vida quase normal, apesar de ter dificuldades para andar. O cão machucou a coluna brincando em um lago. “Simplesmente pulei no lago, peguei ele e fui correr atrás de um veterinário. Ele é como um filho”, afirma o professor Alexandre de Oliveira Legendre, dono do Fenrir.

Por causa da lesão, ele teria que ficar mais tempo parado, quietinho, mas para dar mais qualidade de vida ao melhor amigo, Alexandre foi em busca do tratamento mais adequado, a hidroterapia. “Agora ele está reaprendendo a andar e a esteira aquática está ajudando bastante nesse processo dele se reequilibrar. Você deve ter reparado que quando ele está fora, a traseira dele bambeia assim bastante, então o tratamento dele tem melhorado bastante com a esteira”, conta.

Dom também requer cuidados especiais porque nasceu com má formação em uma das patas. Em clínica de fisioterapia e reabilitação para cães em São Paulo, ele faz massagem, alonga a coluna, as sessões são tão relaxantes que Dom chega a dormir. Quem vê o cãozinho assim feliz e tranquilo, nem imagina o sofrimento que ele passou. Dom morava em um canil e por não ter nascido perfeito, estava com os dias contados. “Como esteticamente ele não é bonito ele ia ser sacrificado. Mas eu não deixei, de forma alguma, eu quis adotar, ele veio pra mim quando tinha 40 dias”, afirma a médica Kátya Ortiz.

Graças a boa ação de Kátia, hoje Dom tem uma vida praticamente normal. Ele ganhou uma prótese de pata e também faz sessões de hidroterapia para fortalecer o corpo. O tratamento no caso dele acontece em uma piscina.

“A fisioterapia e a reabilitação elas são muitos importantes, porque animais que antes eram sacrificados, como a gente viu o caso do Dom, hoje em dia as pessoas não querem mais sacrificar. Elas querem cuidar desse animal e dar qualidade de vida pra ele”, explica a veterinária Maira Resende Formeton.

Redevet fisioterapia

Tem tanta gente preocupada com isso hoje em dia, que os atendimentos em uma clínica na capital paulista triplicaram nos últimos três anos. Além dos tratamentos como o do Dom, a clínica também oferece quiropraxia. “A gente teve que vir pra um local maior, justamente pelo crescimento desse perfil de proprietário, aquele que quer o melhor para o seu animalzinho, o melhor para o seu amigo, companheiro”, completa Maira.

Essa é exatamente a intenção do empresário Tiago Cuba dos Santos Mamede com a Malu, oferecer mais qualidade de vida. Até o ano passado ela sentia dores no quadril e mancava para andar por causa de uma doença genética. Hoje a realidade é outra e ela caminha tranquila. É que o Tiago leva a Malu pra fazer sessões de acupuntura a cada 15 dias. “Ela não manca mais, a gente passeia com ela, ela corre e a hora que chega em casa ela não tem mais nenhum problema”, destaca o empresário.

Veja o artigo completo

Raças de Cães

Contato

Dicas, opiniões, sugestões. Fale conosco.

redevet@redevet.com.br

Notícias

  • Brucelose - Enfermidade bovina

    A brucelose bovina é uma enfermidade que já causou muitos problemas e perdas econômicas em propriedades de todo o mundo, como queda da produção de leite, embora no momento esteja erradicada em grande parte dos países.

    Leia mais...  
  • O adeus de um herói: cão pioneiro em resgates no RS se aposenta após 13 anos

    Seu corpo não responde mais às exigências que o trabalho impõe. Suas pernas já não conseguem mais levá-lo sobre pilhas de escombros ou matas fechadas, terrenos que perambulava com destreza. A visão também não é mais a mesma. Mas o olfato permanece aguçado.

    Leia mais...  

Redevet facebook

O Redevet quer saber de você, envie suas sugestões.

Contato