A Rinotraqueíte Viral Felina é uma grave doença que ataca o aparelho respiratório de gatos. É causada pelo Herpesvírus Felino 1 (HVF-1).

O HVF-1 é transmitido por contato direto de gatos infectados a gatos com baixa imunidade, geralmente filhotes. Gatos recém-nascidos possuem anticorpos maternos que os protegem da infecção, mas à medida que eles começam a perder essa imunidade, tornam-se altamente suscetíveis. Outros fatores que contribuem para a infecção são: subnutrição, higiene do local e tamanho da população.

O vírus se multiplica em regiões com temperatura abaixo da temperatura normal de gatos, como nas células epiteliais superficiais dos ossos turbinados nasais e da conjuntiva, no epitélio da córnea, palato mole, tonsilas e epitélio traqueal.

O HVF-1 provoca necrose e ulceração do epitélio dos ossos turbinados nasais. Filhotes que apresentam infecções “in-utero”, normalmente morrem de pneumonia e necrose hepática com duas ou três semanas de vida.

O período de incubação da doença é normalmente de dois a seis dias. Na maioria dos casos os sintomas variam entre cinco a sete dias.

Sintomas

Os primeiros sintomas que aparecem são uma crise de espirros, conjuntivite e rinite serosa. Pode ocorrer pirexia, anorexia, e depressão. Os gatos passam a respirar pela boca devido à obstrução das narinas. Em casos raros ocorre a glossite ulcerativa.

Os animais infectados com HVF-1 ficam suscetíveis a infecções bacterianas e micoplasmicas oportunistas.

Tratamento

A doença é tratada com a administração de glicocorticóides e higiene do ambiente onde o gato vive. Quando afetados com rinite crônica e sinusite frontal respondem bem a terapia antimicrobiana e inalações de vapor de água.


Luiz Gustavo Fabris – Estagiário

Dr. Sidney Piesco de Oliveira - Orientador